terça-feira, 25 de outubro de 2011

Relatório Pedagógico




Relatório das atividades do aluno usando Tecnologia Assistiva

Professor-cursista: José Ricardo Gonçalves Machado

Formador: Edilma Machado de Lima

Tutor: Renata de Oliveira Giacomini

1. Aluno: Henrique (nome fictício)
Perfil do aluno: aluno com baixa visão acentuada, devido à coloboma em ambos os olhos (ma formação congênita de Iris, retina e nervo óptico), e microftalmia no olho direito (alteração de desenvolvimento caracterizada pela redução do tamanho do bulbo ocular), não melhora com correção visual. Nasceu em 1997, atualmente com 14 anos de idade, cursando a 6ª. Série, numa escola regular da rede municipal de ensino. Muito arredio, tímido e desorganizado com o material escolar (o material didático não é preparado adequadamente para o aluno, o caderno que utiliza está incompleto e, devido à sua limitação, muita das vezes não consegue ler o conteúdo do mesmo). Vem de um grupo familiar conturbado, a separação dos pais lhe acarretou traumas, gerou fixação em “trabalhar para não faltar alimento em casa”. Neste contexto, é inteligente, sente prazer em aprender, possue boa apreensão, apesar da dificuldade de se expressar através da escrita (expressa-se oralmente) e em pedir ajuda.

2. Descrição da atividade planejada pelo professor

A proposta de implementar o uso da Informática no processo ensino/aprendizagem deste aluno.
O objetivo é apresentar à escola esta tecnologia como ferramenta na produção de material didático acessível ao aluno e, ao aluno, ferramenta de construção do conhecimento, forma de expressão, estímulo à autonomia, autoconfiança, independência e vislumbrar novas possibilidades.
A dinâmica consiste em apresentar o computador como ferramenta, uso e possibilidades práticas, na produção de material acessível (textos com fontes ampliadas). Proporcionar ao aluno a oportunidade de executar seus trabalhos escolares usando o computador. O trabalho inicial foi de Educação Física, onde vários questionamentos sobre o “time preferido” do aluno serão levantados e apresentados na forma escrita.

3. Tecnologia Assistiva escolhida

 

A Tecnologia  Assistiva escolhida foi a Lente de Aumento, dos Recursos de Acessibilidade do Windows e leitor de telas Virtual Vision 5.0.

4. Reflexão sobre a experiência:

a. Dúvidas, facilidades e dificuldades no manuseio da tecnologia por parte do aluno

A primeira dúvida foi se todos os computadores possuíam aquele recurso, e como configurá-lo.
A facilidade de poder usar o resíduo visual motivou o aluno, interagiu com entusiasmo, especialmente  no Word e internet (Mozila Firefox).
A dificuldade foi o fechamento da janela da “Lente de Aumento” com freqüência, sendo necessário acioná-lo novamente.

b. Análise da produção do aluno:

Inicialmente, com a proposta de realizar o trabalho escolar, apresentamos o recurso de acessibilidade “Lente de Aumento” do Windows, como acionar e seu funcionamento. Deixamos que o aluno explorasse o recurso, antes de dedicar-se ao trabalho.
O aluno explorou conteúdos da internet e usou o Word sem a necessidade do leitor de telas, como fazia anteriormente.
Com pequenas intervenções, elaborou texto no Word, copiou e colou conteúdo da internet, demonstrou interesse em salvar a imagem do escudo do time, realizando esta ação com algumas dicas.
Na elaboração do texto identificou-se a grafia de algumas palavras faltando letras e/ou supressão de outras palavras na produção.
Executado com total autonomia pelo aluno, somente com intervenções verbais, a produção do trabalho foi de boa qualidade, com demonstração de interesse e satisfação em relação ao aprendizado. Embora as informações da escola sejam de que o aluno é apático, não responde às estratégias da professora, ele foi receptivo às interações, pediu ajuda quando precisou, organizou o material produzido, etc.

c. Conclusões:

O uso da Tecnologia Assistiva – TA, resgatou o “aluno” Henrique , e mostrou à sua “pessoa” uma infinidade de possibilidades, proporcionando-o autonomia, auto-confiança e desejo.
Identificou-se dificuldade em relação à grafia das palavras e construção das frases, atribuímos ao fato da participação do aluno mais como ouvinte nas atividades em sala de aula. Associamos o uso do leitor de telas “Virtual Vision 5.0”, juntamente com a identificação da ampliação de fonte, Arial, negrito, tamanho 24, a qual o aluno consegue ler, oferecendo condições para produção e identificação de possíveis erros, visualizando e ouvindo o texto que produzia, servindo também como suporte quando a “Lente de Aumento” era desativada.
A presença da TA alterou o suposto desinteresse do aluno pelos estudos, demonstrou prazer durante as atividades, tornou-se mais aberto à comunicação e pediu ajuda quando necessitou.
Concluímos que muitos dos atrasos ou dificuldades no processo ensino/aprendizagem do aluno tem origem na falta de acessibilidade dos materiais didáticos, carência de recursos para atendimento às suas necessidades.
A Informática demonstrou ser preciosa para o aluno, para a professora e para a escola.

Um comentário:

  1. José Ricardo,

    Através do teu Relato pôde-se perceber que a escola não oferece os recursos e estratégias adequadas para que ele possa se interessar e interagir com os conteúdos. Desejo que a escola a partir dessa experiência possa aderir esses recursos para seus alunos tornando possível a aprendizagem, autonomia, a equiparação de oportunidades e a elevação da auto-estima dos mesmos. Vejo nas TA uma possibilidade atrativa e acessível de acesso ao mundo.

    Abraço.

    ResponderExcluir